sexta-feira, 5 de junho de 2020

História do Dia: A aventura dos cinco amigos marinhos


Era uma vez um mar muito azul e límpido, onde viviam cinco amigos, o Cachalote, a Tartaruga, a Orca, o Golfinho e o Polvo.
Certo dia, os amigos estavam a brincar, alegremente, um pouco afastado de suas casas, quando descobriram que andava a flutuar algo estranho na água.
Resolveram investigar para ver o que era. Ficaram muito surpreendidos e tristes com que viram. Era tanto plástico, vidro, tampas de plásticos e metal que quase cobria o mar. Era um montão de lixo que estava a poluir o mar limpo e azul que eles sempre conheceram e no qual sempre viveram e se divertiram até hoje.
Desolados com este cenário, começaram a traçar um plano para descobrir soluções.
- O que acham se limpássemos o mar? - perguntou o Cachalote impaciente.
- Boa ideia! – exclamou o Polvo.
- Vamos lá, então! – respondeu com prontidão a Tartaruga.
- Que tal dividirmo-nos por tarefas? - sugeriu a Orca.
- Ok. Vamos por mãos à obra! Eu posso recolher as tampas de plástico com a minha boca. – disse logo o Golfinho.
- Eu não me importo de apanhar o metal. – declarou o Cachalote pronto para agir.
- Então, eu apanho os sacos plásticos com as minhas patas! – afirmou a Tartaruga já pegando o primeiro saco plástico.
- Eu como tenho muitos “braços” posso apanhar as garrafas de vidro. – respondeu o Polvo preparando os seus tentáculos para a tarefa.
Após definirem tudo, os cinco amigos decidiram chamar à sua missão: “Limpeza Marítima!”. Colocaram mãos à obra e passado algumas horas, a tartaruga disse:
- Já recolhi tantos sacos plásticos, que já me doem as patas! E ainda há tantos a flutuarem!
- O Homem é muito desrespeitador da Natureza! – afirmou a Orca indignada.
- Que malvadez! – Tanta poluição! – constatou o Golfinho zangado.
- Tanto vidro que já apanhei que até já tenho os meus “braços” a “arder”! – queixou-se o Polvo, mostrando os seus tentáculos todos vermelhos.
- Eu já estou todo cheio de arranhões! – respondeu o Cachalote, exibindo o seu corpo arranhado.
Mas mesmo cansados e com alguns ferimentos, não desistiram e continuaram a sua missão cheio de garra e determinação. Passados bastante tempo, a tartaruga exclamou:
- Está difícil! Ainda temos muito trabalho pela frente!
- Nós não podemos descansar! Temos que deixar o nosso mar limpo como dantes! – afirmou o Cachalote, decidido.

- Se o Homem tem locais próprios para colocar o lixo, porque está a poluir este mar? – perguntou a Orca triste e chateada.

- Tanto lixo! Ai, que já não sinto os meus “braços”! – queixou-se o Polvo, massajando os seus tentáculos.
- Acho que já engoli uma tampa de plástico! – declarou o Golfinho, engasgado.
Voltaram a recolher o que faltava e no fim da missão, feliz o Cachalote afirmou:
- A nossa limpeza foi um sucesso!
- Sim! E ainda bem que já terminamos! Tenho os meus tentáculos todos doridos e dormentes! – Exclamou o Polvo, todo dorido.
- Estou muito cansada! Mas feliz por ter conseguido acabar a minha tarefa! – declarou a Orca satisfeita.
- Missão concluída! Conseguimos! Estamos todos de parabéns! Somos uma equipa trabalhadora e unida! Somos o “Quinteto Fantástico”! – concluiu o Golfinho feliz e orgulhoso.
Felizes e satisfeitos com a missão cumprida, os cinco amigos abraçaram-se e regressaram, apressadamente, às suas casas, pois já estava muito tarde e os seus pais já deviam estar preocupados à sua procura. Já em casa, contaram aos seus pais a sua aventura e estes ficaram muito orgulhosos.


Limpeza Marítima foi a missão.
Do Quinteto Fantástico,
Acabar com a poluição.
Conseguiram mesmo com cansaço,
Graças à Tartaruga trabalhadora,
Ao Golfinho zangado mas orgulhoso,
À Orca indignada e chateada,
Ao Cachalote impaciente mas decidido,
E também ao Polvo, o queixoso.
Foi-se a poluição! Quinteto Fantástico, agora volta a diversão!
Amigos, amigos! Acabou-se a poluição!


A história de hoje é o produto final de um trabalho realizado pelos alunos David Campelo; Gonçalo Marques; Henrique Reis; Íris Correia; e Rafael Duarte (Quinteto fantástico-3MAR) sobre o tema “A influência na vida do mar”.


                                            




Sem comentários:

Publicar um comentário