quinta-feira, 18 de junho de 2020

Poesia do Dia: Balada para um cancro


Partilhamos o poema que recebeu a Menção Honrosa no escalão M, no Concurso Interescolas de Poesias de Gaia. Parabéns!


Roubam-nos tudo sem piedade
A paz, a alma, a saudade

Inventamos novos veleiros
pois temos a força de marinheiros

Descobrimos um novo mundo
Cantamos o poeta moribundo

Adoecemos. Caímos.
Mas nunca …. nunca desistimos

Passamos por sombras e dias de inquietude
Com determinação, muita coragem e atitude

Somos feitos de marés e alma desmedida
Não queremos beber o trago da despedida

Somos outono, folhas caídas.
Somos primavera, vidas renascidas.

Adoecemos. Caímos.
Mas nunca …. nunca desistimos

Cravaram no nosso peito cardos de solidão
Caminhamos sobre o sargaço da vida e da ilusão

Somos a luz do sol que no espelho se reflete
Sangue e lágrimas que a vida nos promete

Não temos medo de beijos e abraços
Vencemos a noite com suores e cansaços

Adoecemos. Caímos.
Mas nunca …. nunca desistimos

Corremos agarrados às asas das ilusões
Nossos corações batem num tropel de emoções

Pegamos num sonho, numa tela e damos-lhe cor
A nossa razão maior é sempre o amor

Nunca a esperança está perdida!
Vivemos! Reinventamos a vida!

Adoecemos. Caímos.
Mas nunca …. nunca desistimos

Somos o que fazemos para mudar aquilo que somos.
Somos vítimas do nada.

José Neves
Menção Honrosa

Escalão M

Sem comentários:

Publicar um comentário